ABUTRES VERMELHOS - PARTE 2


Nesta segunda edição dos Abutres Vermelhos, vamos tratar do Abutre Cardeal, aquele que não é o chefe, mas é o quase-chefe, a eminência parda, também conhecido como 1º Damo, o comedor de bode, que não pode pisar no Sul do Maranhão de tão odiado que é. Mas o bicho é tão ruim, mas tão ruim, que mesmo de Brasília comendo bode ele consegue fazer maldades e falcatruas no Maranhão.

Esse Abutre Cardeal é aquele que desgraçou com a carreira de um prefeito de uma cidade RICA próxima a Imperatriz, o pobre ficou tão lascado com a justiça que fizeram ele renunciar. Teve um outro ali que caiu nesse golpe depois que perdeu seu irmão cedeu as promessas do COME-BODE, e agora viu a sua popularidade desaparecer, mas também o que esperar de um cabra mandado pela mulher? 

Claro que o COME-BODE ou Abutre Cardeal da cara redonda irá pintar e bordar, se o prefeito não manda nem em casa, que dirá numa cidade próspera. A consequência? Popularidade no chão! Cheio de problemas e nunca viu a fortuna que prometeram. 

O que não é novidade porque por onde o Abutre Cardeal passa e que põe a mão, todo tipo de falcatrua acontece, ele desembarca na cidade com sua bandeira vermelha prometendo muito dinheiro, assume logo a CPL, coloca logo suas empresas e depois a SANGRIA começa... 

Essa espécie de Abutre Cardeal é a mais violenta e sedenta de todos os Abutres Vermelhos, não há limite para a sua ganância, ele destrói tudo, deixando apenas dívidas e problemas na justiça para os prefeitos que nele acreditam.

E enquanto a coisa pega fogo no município, ele fica lá de Brasília, comendo seu bode, fazendo churrasco de carneiro, dando as ordens, alguns acreditam que ele manda mais do que o próprio Abutre Rei, outros já acham que o Abutre Rei mandou ele pra Brasília pra sobrar alguma coisa por aqui, mas a verdade é que o Abutre Cardeal é tão odiado no Sul do Maranhão, que não tem nem coragem de pisar aqui. 

Na próxima edição vamos tratar do Abutre Pamonha, outra espécie vermelha dessas aves de rapina que só é mansa pra sua fêmea que manda e desmanda nele e trás no cabestro curto, mas que quer ser brabo com os adversários. NÃO PERCAM!