Aos 15 anos, estudante de São Luís alcança nota no Enem para cursar Psicologia


Em 2019, cursando o 1º ano do ensino médio no Colégio Dom Bosco, Lívia Castro Matos Rodrigues insistiu com os pais que queria fazer o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) como experiência, a exemplo de outros colegas de turma. Fez as provas e, no dia 24 de julho último, uma surpresa para ela e para a família. A UNDB lhe enviou comunicado de que sua performance lhe deu o direito de cursar Psicologia no turno matutino, sem necessitar prestar o exame vestibular desta instituição de ensino superior. Foi credenciada pela nota no certame estudantil, resultado de 940 na redação e 650 no geral.

“A experiência foi muito boa. A escola nos dá muitas técnicas e não achei muito difícil. Pensei que fosse demorar nas provas, mas respondi as questões em tempo ágil, até porque não achei muito complicado. O que me surpreendeu, assim como aos meus familiares e amigos, foi exatamente o resultado, a colocação e as condições de ser universitária de Psicologia”, afirmou a aluna.

Ela afirma que não vai se inscrever para o curso, enfatizando que irá fazer o Enem novamente este ano, assim como destaca que pretende prestar o vestibular da UEMA (Universidade Estadual do Maranhão), talvez para Direito. “Foi muito boa a aprovação, mas quero me preparar ainda mais para o futuro”, destaca Lívia Rodrigues.

Sempre focada nos estudos, ela afirma que dedica algo em torno de 7 a 8 horas diárias, entre aulas e os deveres. Com pouco lazer, dedica ainda os finais de semana para leituras de obras de ficção, romance, história, biografia e outros estilos, de autores nacionais e estrangeiros. Atualmente, está mergulhada na obra de Jason Stanley “Como funciona o Fascismo”.

“Gosto de todo tipo de leitura. A leitura abre a mente, e acelera conhecimentos”, afirma Lívia, que diz não saber contabilizar o número de livros que já devorou em tão pouco tempo.

Ele aconselha os amigos a sempre estarem dispostos aos estudos e não desistir nas horas de dificuldades. Afirma ser importante a pesquisa, a busca de auxílio aos professores, nunca se acanhar por não saber algumas questões. Ela destaca que nessa hora, tem que se colocar a timidez de lado e buscar apoio.

Filha dos jornalistas Djalma e Elineusa Rodrigues, Lívia enfatiza que ainda está em dúvida quanto à carreira a seguir. Diz que o importante é se dedicar à profissão que escolher. Por enquanto, continua estudando arduamente, por via remota, nesse tempo de pandemia, fazendo as leituras de obras diversificadas que adota como lazer e de olho no futuro, sob o argumento de que só estudando é que se consegue alcançar seus objetivos.