Coronavírus se propaga para cinco províncias da China


Pessoas infectadas com coronavírus em um surto no nordeste da China espalharam a COVID-19 por cinco províncias do país, incluindo a de Pequim, a capital - anunciaram autoridades nesta terça-feira (28).

A China, onde o vírus apareceu em 2019, conseguiu conter a pandemia por vários meses, graças ao uso de máscara, a um rígido confinamento e ao controle de contatos. Desde maio, nenhuma morte é registrada no país.

Nos últimos meses, porém, surgiram focos de infecção em diferentes partes do país e, nesta terça, a China anunciou 68 novos doentes nas últimas 24 horas - o maior aumento diário desde meados de abril. 

Entre eles, 57 casos foram detectados na região de Xinjiang (noroeste). Na capital da região, Urumqi, registrou-se um aumento de casos, e milhões de habitantes estão sendo submetidos a teste. 

Seis pessoas infectadas também foram identificadas em Dalian, cidade portuária em Liaoning (nordeste). Um foco foi detectado na semana passada em uma fábrica local de processamento de frutos do mar.

A cidade de seis milhões de pessoas é uma das sedes do campeonato chinês de futebol, retomado neste fim de semana. Com os novos casos anunciados hoje, conta agora com 44 infectados por coronavírus. 

Esse foco contribuiu para espalhar o vírus por cinco províncias, incluindo Fujian, a mais de 1.200 quilômetros de distância, disseram autoridades de saúde na terça-feira. 

O aumento de casos em Dalian também teve impacto em Pequim. Um novo doente de COVID-19, relacionado a um paciente assintomático que chegou da cidade portuária, foi anunciado nesta terça-feira.

Este é o primeiro caso local registrado na capital desde que um foco foi controlado no início de julho.

Diante do perigo, as autoridades de Dalian anunciaram no domingo uma campanha de testes em massa para a população. O governo anunciou que, na segunda-feira, 1,68 milhão de pessoas já havia sido testadas.

No momento, a situação segue controlada em nível nacional, com apenas 291 pacientes em todo país, informou o Ministério da Saúde. 

O total oficial de mortos desde o início da pandemia é de 4.634.