ELEIÇÕES DEVEM OCORRER ENTRE 15 DE NOVEMBRO E 1º DE DEZEMBRO


Brasília - Alegando prazos apertados por conta do coronavírus, o PRESIDENTE DO TSE, ministro Barroso, dá a entender que a possibilidade de adiamento das eleições é real!

Partindo deste pressuposto, as datas mais prováveis são 15 de Novembro e 1º de Dezembro, o debate sobre a melhor data, será debatida na Câmara, mas pelo que se ouve nos bastidores em Brasília, TSE tem preferência por 1º de Dezembro e Rodrigo Maia por 15 de Novembro.

Sobre a possibilidade de Adiamento por 1 ano, todos os poderes são unânimes que prorrogação de mandato é fora de questão devido a sua inconstitucionalidade.

veja abaixo as principais declarações sobre o tema:

“Então seria o adiamento da eleição sem prorrogação de mandato. Isso eu vi ontem, na discussão com os líderes, que essa é uma posição de quase unanimidade. A maioria dos parlamentares entende que podemos ter o adiamento, mas não devemos ter a prorrogação de nenhum mandato”, Rodrigo Maia.

"Isso não existe, quem fala em prorrogar mandato desconhece a Constituição e não respeita a Democracia! Adiar por algumas semanas, sim, prorrogar mandato, NÃO!" Davi Alcolumbre


“Por minha vontade, nada seria modificado porque as eleições são um rito vital para a democracia. Portanto, o ideal seria nós podermos realizar as eleições. Porém, há um risco real, e, a esta altura, indisfarçável, de que se possa vir a ter que adiá-las”, afirmou o ministro em transmissão ao vivo em uma rede social promovida pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB).

“Sou totalmente contra essa possibilidade. A democracia é feita de eleições periódicas e alternância no poder”, afirmou. “Os prefeitos e vereadores que estão em exercício neste momento foram eleitos para quatro anos.”  Barroso foi enfático ao afirmar que é contra prorrogação de mandato

Há meses nosso editorial vem afirmando que jamais os mandatos atuais seriam prorrogados, afinal além de totalmente inconstitucional, seria um ataque fatal a Democracia, passados alguns meses podemos afirmar categoricamente que o adiamento é fato, faltando apenas escolher a data, que estaria entre 15 de Novembro e 1º de Dezembro.