Pai de Braide nomeou caseiro de fazenda da família como assessor parlamentar na Assembleia


Denúncia que veio à tona no debate Imirante/O Estado foi constrangedora para o candidato do Podemos

O ex-deputado estadual Antônio Carlos Braide, pai do deputado federal Eduardo Braide, candidato do Podemos na disputa pela prefeitura de São Luís, nomeou como assessor parlamentar de seu gabinete o caseiro de uma fazenda da família, conforme revelação que veio à tona no debate Imirante/O Estado nesta terça-feira (20). A denúncia constrangedora para o candidato do Podemos teve embasamento no processo da Justiça do Trabalho, tendo como reclamante Antônio Augusto Nunes Moreno, ex-gerente de uma das fazendas da família, a Tarumã. 

O caseiro-assessor destaca que foi contratado pelo pai de Braide, mediante um cargo na Assembleia Legislativa e com o salário sendo complementado pelo ex-deputado. Tal complementação, conforme ele, era feito às vezes através de depósito bancário e outras vezes em dinheiro, sem a emissão de recibo.

Numa das audiências ocorridas na Quarta Vara do Trabalho, Antônio Augusto afirma que exercia várias funções e que, uma delas, foi a intermediação da compra da Fazenda Timbuba, cujo nome de registro na Receita Federal é Fazenda Santa Rosa.  Ele afirma ainda que nunca teve aumento salarial, uma vez que havia combinado que receberia 5% das receitas brutas referente à movimentação financeira dos empreendimentos agropecuários.

Destacou, ainda, em seu depoimento, que mesmo tendo um cargo comissionado na Assembleia Legislativa, nunca trabalhou naquela casa parlamentar. Disse, também, que Carlos Braide, posteriormente adquiriu a Fazenda Larissa, também administrada por ele e que a Fazenda Tarumã, inicialmente era um empreendimento societário, com um senhor identificado por Heitor, relatando Antônio Augusto, que posteriormente Carlos Braide adquiriu sua parte, assumindo sozinho a propriedade.